e agora, já acreditam?

Austeridade coloca mundo desenvolvido em risco de recessão, diz a ONU

A Organização das Nações Unidas (ONU) alerta hoje num relatório para o abrandamento da economia mundial e diz que a resposta dos países – a austeridade orçamental – terá o resultado contrário ao pretendido, matando o crescimento

No relatório “Trade and Development 2011”, hoje divulgado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), a organização nota que a consolidação das finanças públicas apenas responde aos “sintomas do problema” e não às suas causas profundas.

A organização vai mais longe e diz mesmo que a austeridade constitui “um risco significativo de gerar um período prolongado de crescimento medíocre nas economias desenvolvidas – se não mesmo de contracção”.

A alternativa é uma política orçamental que fomente o crescimento, o que, para as Nações Unidas, ajudaria a reduzir mais o défice e a dívida do que uma política orçamental restritiva. E, se tal não for possível, defende, é preferível optar por uma reestruturação da dívida do que pela via da austeridade.

A instituição internacional coloca mesmo de parte o argumento usado para justificar os pesados esforços de consolidação orçamental que vários países estão a empreender, como é o caso de Portugal: a necessidade de restaurar a confiança dos mercados internacionais. 

“À luz do comportamento irresponsável de vários actores do mercado financeiro, que obrigaram a intervenções caras dos Governos para prevenir o colapso do sistema financeiro, a opinião pública e as autoridades não devem voltar a confiar nestas instituições, incluindo nas agências de rating, para avaliar o que são políticas macroeconómicas sustentáveis e uma gestão saudável das finanças públicas”.

Noticia hoje o Público, aqui.

Anúncios