uma notícia ridícula, seguida de uma boa notícia.

O Duque de Bragança, D. Duarte Pio, encontra-se em Damasco, a convite de Bashar Al-Assad, presidente da Síria. Sim, não é engano, trata-se do regime que foi esta semana acusado, pela Amnistia Internacional, de crimes contra a humanidade, o regime que autorizou o uso de força letal contra manifestantes desarmados em Hama e noutras cidades, o regime que incentiva ataques de atiradores especiais contra jornalistas e fotógrafos, o regime que permitiu que as “forças de segurança” abatessem cidadãos presentes nos funerais das vítimas de massacres, regime cujo Ministro dos Negócios Estrangeiros conseguia rir-se enquanto, numa conferência há poucos dias, dizia que era preferível “esquecer que a Europa vem no mapa” (será que D. Duarte irá saudar-lhe o gracejo?).

Apesar de tudo isto, o nosso Duque não se inibe de afirmar: “é um homem muito bem intencionado”.

O que faria se não fosse.

Julgando pouco, ainda acrescenta: “conhecendo-o, [sei que] é uma pessoa com um fundo muito bom”“um médico muito estimado por toda a gente”.

A boa notícia, depois disto, é que D. Duarte não tem viagem de regresso marcada.

Anúncios